El Corte Inglés Gourmet Magazine Nº22

download El Corte Inglés Gourmet Magazine Nº22

If you can't read please download the document

  • date post

    22-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    247
  • download

    8

Embed Size (px)

description

 

Transcript of El Corte Inglés Gourmet Magazine Nº22

  • NO

  • A gama completa de electrodomsticos encastrveis da MieleCombinao perfeita, materiais de elevada qualidade e coman-dos intuitivos, definem a nova gerao de encastrveis da Miele. Seja qual for a sua seleco de aparelhos, ela estar sempre em total harmonia com o ambiente da sua cozinha. A isto chamamos Design for life.

    Saiba mais sobre a nossa Promoo Primavera em www.miele.pt

    Saiba mais em

    www.miele.pt

  • esta Gourmet primavera/vero convidamo-lo a fazer uma viagem gastronmica pelos sabores de Itlia, um pas que nos surpreende a cada visita. Seguem-se algumas receitas italianas, que vai querer experimentar para maravilhar os amigos e a famlia. Na nossa seco poca Alta damos-lhe a conhecer

    duas bebidas premium que vo refrescar o seu vero: a Tnica Premium Qyuzu com sumo de Yuzu e a Cerveja artesanal de autor Gastro. Segue-se a Mer-cearia, com uma seleo de artigos surpreendentes, tambm eles disponveis no Club Del Gourmet: o Xarope de cer Club Del Gourmet, o Azeite Virgem Extra Chousas Nostras e os Curds de Lima ou Groselha Preta com assinatura Tiptree. Diretamente da nossa Charcutaria delicie-se com o Lombo ibrico de bolota 5B Mangas, o Presunto ibrico de bolota 10 vetas fatiado mo Sierra Mayor e o Queijo de ovelha curado Los Cameros, da queijaria Lcteos Martnez. Desta vez, as bebidas que se destacam na nossa Garrafeira so o Vinho Douro Xisto Cru 2013 branco, o Vinho Regional Alentejano Monte Branco 2010 tinto, o Porto Quinta da Boeira 10 anos, o Espumante Vrtice Pinot Noir 2006 Bruto e, como no podia deixar de ser, a bebida da moda: o Gin Ferdinands.O chef Lus Rodrigues, do restaurante Grei, em Lisboa, o nosso chef convidado desta edio com receitas que lhe vo fazer crescer gua na boca. Vive sozinho e no sabe o que vai fazer para o jantar? No blogue Comida para Solteiros, da jornalista Neuza Gomes, no lhe faltam sugestes!

    EDITORIAL

    n Estao

    gastronmica

    3

  • 4NDICE

    PROPRIEDADE: El Corte Ingls - Grandes Armazns, S.A.Avenida Antnio Augusto de Aguiar, n. 311050-012 Lisboa NIPC/NIF: 501 810 285Coordenador de Projeto: Jos BarbosaComercializao de Publicidade: in-Store MediaTelefone: 210 115 182

    Editor: MASEMBA, LDA.Rua da Fraternidade Operria, n 4 2794-024 Carnaxide Tel.: +351 214 369 500 Fax: +351 214 369 633 NIPC/NIF: 510 647 421 Direo Geral: Nuno SantiagoDireco Financeira: Ana RuivoDireo Editorial: Rita MachadoEditora Executiva: Ana Cceres Monteiro Editora: Sandra Cceres MonteiroAssistente Editorial: Ana Paula PiresReviso: Adriana SilvaDiretor de Produo e Paginao: Ramiro AgapitoAssistente de Produo: Ins PereiraPaginao: Paulo Franco, Pedro Martins e Sofia DuarteTratamento de Imagem: Diogo Sargento, Frederico Queirs e Pedro FigueiredoFotografia: LemonnierfotoReceitas: Giovanni de BiasioTelefone: 214 349 157Tipografia: Lisgrfica - Impresso e Artes Grficas, S.A.Tiragem: 8.000Periodicidade: TrimestralN de Inscrio na ERC: 126442Depsito Legal: 267918/07

    46Lus Rodrigues

    O chef do Restaurante Grei, em Lisboa, sugere cinco receitas deliciosas

    para esta primavera/vero. Aprenda com quem sabe!

    10Itlia

    Referncia ao longo da sua histria em inmeros aspetos culturais, polticos e gastronmicos, a Itlia um pas to rico e variado que olhamos para ele

    sempre de maneira diferente.

    38Xarope de cer

    Club Del GourmetO xarope de cer vai dar um toque especial s suas sobremesas e uma

    aparncia irresistvel aos seus gelados. Use e abuse!

    42Azeite Virgem Extra

    Chousas NostrasSe pretende um azeite com

    personalidade, no deixe de conhecer este produto gourmet de elevada

    qualidade.

    NO

  • 5NDICE

    90Gin Ferdinands

    O gin uma bebida consensual, que tem conquistado cada vez mais fs.

    Surpreenda-se com este Ferdinands, um gin de qualidade produzido com

    extremo rigor.

    68Queijo Los Cameros

    Se no resiste a um bom queijo, no deixe de experimentar este produto

    nico, de sabor pleno.

    72Presunto ibrico

    Sierra MayorSe quer impressionar os amigos mesa,

    sirva-lhes este verdadeiro cone da gastronomia ibrica que, certamente,

    os vai deixar rendidos.

    78Vinho Douro Xisto Cru 2013 Branco

    na regio do Douro que produzido este vinho austero e

    de forte personalidade, resultado do pro ssionalismo do Projeto CRU.

    P. 6NOTCIAS

    Conhea as ltimas novidades do Club Del Gourmet.

    P. 30TNICA PREMIUM QYUZU

    O segredo de um bom gin passa, sobretudo, pela tnica que usamos.

    P. 32CERVEJA DE AUTOR GASTRO

    Quando o calor aperta, nada melhor do que uma cerveja bem fresca.

    P. 40CURD DE LIMA OU GROSELHA

    PRETA TIPTREENo deixe de experimentar estes

    maravilhosos curds.

    P. 64LOMBO IBRICO DE BOLOTA

    Deixe-se surpreender por este lombo ibrico de bolota de sabor nico!

    P. 82VINHO REGIONAL ALENTEJANO

    MONTE BRANCO 2010 TINTO na Adega do Monte Branco

    que se produz este vinho distinto.

    P. 86PORTO QUINTA DA BOEIRA

    O Porto Quinta da Boeira 10 anos um vinho para servir numa ocasio especial.

    P. 94ESPUMANTE VRTICE PINOT NOIR

    2006 BRUTOUm espumante fresco ao pr-do-sol.

    P. 98CRNICA

    Fique a conhecer o original blogue da jornalista Neuza Gomes, Comida para Solteiros, onde encontra receitas muito

    apetitosas para se deliciar a solo.

  • ATUALIDADE

    6

    NOTCIASNO CLUB DEL GOURMET NUNCA O DEIXAMOS DE SURPREENDER COM PRODUTOS DE ELEVADA

    QUALIDADE, QUE SE TRADUZEM EM EXPERINCIAS GASTRONMICAS INESQUECVEIS.

    na Quinta das Torres, freguesia de Oliveira, em plena Regio Demar-

    cada do Douro, que se produz este vinho elegante, que vai certamente marcar a dife-rena num convvio entre amigos. O vinho Douro Consensual C16 Grande Reserva 2012 Tinto um vinho muito concentrado na cor e no aroma, com notas de fruta ma-dura no ponto certo, para nos dar as sensa-

    es de amoras, cerejas e ameixas bem casadas com a barrica onde estagiou cerca de 12 meses. Na prova de boca mostra-se vigo-roso, denso e viscoso, cheio de extratos, com taninos empenha-dos mas elegantes e polidos e uma textura de seda carregada de fruto, levemente achocolatado e com alguma especiaria. Termina longo, quente e capitoso. Um vinho muito elegante para uma ocasio especial!

    TISANAS HERDADE DO GAMOAL

    REGRESSO S ORIGENS

    Herdade do Gamoal, junto bar-ragem de Montargil, foi criada a

    pensar em todos aqueles que gostam de desfrutar dos pequenos prazeres da vida e que apreciam as coisas simples que a terra nos oferece, num verdadeiro regresso s origens. As infuses que ali se fabricam so produzidas de forma artesanal, no corao da charneca alentejana, onde a pureza dos

    solos e o brilho do sol se unem, originando uma elevada concentrao de leos aro-mticos que lhes conferem a qualidade de um produto biolgico mpar. Disponveis nas verses tomilho/limo, hortel-pi-menta, lcia-lima, erva prncipe, entre ou-tras, estas tisanas transportam-nos numa agradvel viagem sensorial pelos aromas e sabores do Alentejo. Deixe-se levar

    a

    VINHO DOURO CONSENSUAL C16 GRANDE RESERVA

    2012 TINTO

    A ELEGNCIA DE UM VINHO

  • ATUALIDADE

    7

    ARROZ LOTAO DELI RICE

    O MELHOR SUA MESA!

    arroz , hoje em dia, o acompa-nhamento mais usado nos sa-

    borosos pratos mediterrnicos que por c vamos cozinhando. Agora, com o ar-roz Lotao Deli Rice pode dar um toque original s suas receitas.Aromtico, colorido e muito saboroso, este arroz marca a diferena, quer em

    pratos salgados quer em sobremesas. A marca alem apresenta seis variedades de arroz originrio de diversas partes do mundo: Sparking Volcano Terra, Royal Pearl Black , Glam Wedding Pink, Wi-zard of Laos, Oriental Sensat Smoked e Indian Tiger Umbra. O mais difcil vai ser mesmo escolher o seu preferido!

    COMPOTA DE AMEIXA 9 SENTIDO

    EXPLOSO DE SABORES!

    Compota de Amei-

    xa 9 Sentido um verdadeiro blsamo para os sentidos e vai, com certeza, deix-lo rendido. produzida a par-tir de ameixas da prpria quinta onde feita, localizada na Re-gio Oeste de Portugal. Com um excelente sabor e aroma, esta compota resultado de uma receita tradicional, que lhe confere uma qualidade nica. No po, em tostas ou a solo, delicie-se sem culpas com esta verdadeira tentao!

    a

    VINHO BAIRRADA POEIRINHO 2012 TINTO

    FRESCURA E PUREZA DE AROMAS

    Poeirinho, cujo nome re- ete a designao antiga da

    casta Baga, como que um tributo aos grandes vinhos bairradinos do passado.A enorme paixo de Dirk Niepoort pela casta Baga e pelo fantsti-

    co terroir da regio da Bairrada fez com que ao longo dos ltimos trs anos procurasse pequenas parcelas de Baga de vinhas muito velhas, es-palhadas pela zona de Cantanhede. Estes vinhos eram leves na cor e no grau alcolico, elegantes e nos logo

    aps o engarrafamento, mas com um enorme potencial de guarda. Em 2012, na primeira edio do Poeiri-nho, criou-se um vinho incrivelmen-te fresco e preciso que um dos me-lhores vinhos no forti cados produ-zidos pela Niepoort. Atreva-se!

    o

    o

  • 8MUNDOGASTRONMICOITLIA

    C

    ORD

    ON

  • 10

    MUNDO GASTRONMICO

    bero da civilizao ocidental, a Itlia sempre teve um papel importante em cada um dos acontecimentos mais rele-vantes da Histria: seja pelo Imprio Romano, pelo Renascimento, pela sua uni cao em 1870 ou por ser membro dos trata-dos internacionais mais importantes: UE, NATO, G7 Alis, houve uma poca em que os futebolis-tas espanhis que jogavam na liga italiana regres-savam ao pas natal com um visual completamente mudado e muito evidente: a moda italiana in uen-ciara-os de maneira marcante. Inconscientemente, uma terra que formou, e forma, parte de ns: a -loso a, o pensamento moderno, a arte, a gastrono-

    Referncia ao longo da sua histria em inmeros aspetos culturais, polticos e gastronmicos, a Itlia um pas to rico e variado que olhamos para ele sempre de maneira diferente. Um lugar que impressiona de cada vez que se visita.

    mia, o cinema O pas lidera o ranking mundial de locais classi cados de Patrimnio da Humanidade da UNESCO, com 50 classi caes, e o terceiro em nmero de turistas. Itlia cheia de contrastes: da rica, prspera e industrializada regio do Norte, rural e de menos recursos zona sul. Ambas de uma beleza sem igual.

    A PROSPERIDADE NORTENHAA primeira visita que tem de ser feita no Norte de Itlia capital da Lombardia: Milo. A cidade surpreende por dois monumentos muito caractersticos: a Cate-dral - Il Duomo - famosa pela sua fachada de mr-more e pelos seus mais de 135 pinculos que apontam ao cu, e pela Galeria Vittorio Emanuele II, onde se

    A origem da cultura

    ITLIA

    Texto: Pau Salv

    C

    ORD

    ON

  • ITLIA

    11

    encontram as lojas de moda, os restaurantes e os ba-res mais seletos da cidade. As ruas de mosaicos e os tetos com vitrais fazem deste espao um lugar nico. Se quer estar na moda, tem de se perder entre a mul-tido de fotgrafos que captam fotos de cada vestido, mala ou acessrio, muitos deles para depois copiarem nos seus pases de origem. O Teatro della Scala, o castelo Sforzesco, o Arco da Paz ou o Palcio de Arte so alguns dos monumentos que completam a variada arquitetura de Milo. Mas antes de deixar a cidade, o bairro de Brera tem muitos cantos genunos que vale a pena visitar, assim como a sua galeria com obras de Rafael, Mantegna ou Caravaggio. Este ano uma boa altura para percorrer a cidade, uma vez que se celebra a Expo2015.Tambm no Norte localizamos a regio de Veneto, que se estende desde os Dolomitas at ao mar Adri-tico. Nesta regio, est a cidade mais romntica do mundo: Veneza. Os seus canais, a sua histria, a sua arquitetura tornam a viagem inesquecvel. O local mais emblemtico Piazza San Marco, com a Bas-lica, o Palcio Ducal, o Campanrio de So Marco e a legio de pombos que tomam o espao (por vezes, uma pessoa at se sente no lme de Hitchcock, Os Pssaros). Ainda que parea clich, a melhor maneira de sentir e desfrutar de Veneza num passeio de gn-dola, j que a melhor forma de entrar no esprito da cidade. Entre os seus canais pode contemplar a Ponte Rialto e a Ponte dos Suspiros, mitos da literatura e do cinema mais seletos. O Vaporetti tambm outra ex-celente opo para percorrer Veneza de uma ponta outra atravs do Grande Canal. Passeios que no exi-giro grande esforo fsico, exceto se procura admirar as obras de Tiziano, Tintoretto e Veronese, espalhadas pelos seus diferentes palcios.

  • 12

    MUNDO GASTRONMICO

    A EXCELNCIA VINCOLANa Toscana, situada no centro de Itlia, degustam-se os melhores vinhos. Chianti, Vino Nobile Monte-pulciano, Brunello de Montalcino, Vernaccia di San Gimignano ou o Vin Santo (vinho doce) so alguns dos excelentes vinhos da regio. Acompanhados de uns petiscos, como a panzanella e os enchidos, uma sopa de ribollita ou de farro, e uns pratos de carne (bistec orentina, carne de galinha-da-gui-n, porco ou caa) ou de peixe (cacciuco, triglie e o stocca sso) fazem uma combinao de qualidade excelente. Porque no s de massa ou pizza vive Itlia, ainda que seja rainha deste tipo de pratos. A capital da Toscana uma cidade famosa por ser o antigo domnio dos Medici, mecenas da cultura e da arte: Florena.Este feito impregna todas as suas ruas de um carcter especial, convertendo-a numa enciclopdia artstica dos sculos XV e XVI. O ncleo histrico por excelncia a Piazza della Signoria, que alberga a Logia dei Lanzi, a Fonte de Neptuno e o Pal-cio della Signoria, frente ao qual se ergue o famoso David, de Michelangelo. E junto praa, a Galeria dos Uffi zi, sede de um dos museus mais importan-tes do mundo com obras de Botticelli, Michelangelo, Leonardo Da Vinci e muitos outros grandes artistas. Na sua praa do Duomo, um conjunto monumental que inclui a Baslica de Santa Maria del Fiore, com a majestosa cpula de Brunelleschi, o Batistrio de So Joo e o Campanrio de Giotto. Dos mercados, o de San Lorenzo e o Centrale, juntamente com o bairro medieval, so outras opes para descansar de tanta paixo artstica. Florena, desde logo, o bero do Renascimento, em todos os sentidos.

    A RIQUEZA DA CAPITALSe em Veneza as gndolas e o Vaporetti permitem ver a cidade de uma maneira relaxada e tranquila,

    Em cima, a famosa Galera Vittorio Emanuele II, em Milo. Sobre estas linhas, a Ponte

    Rialto, em Veneza, um dos lugares mais emblemticos da cidade dos canais.

    G

    ETTY

    G

    ETTY

    C

    ORD

    ON

  • 13

    Florena a capital da Toscana, regio famosa pelos seus vinhos e pela sua gastronomia rica.

    ITLIA

    em Roma o descanso para esquecer. Para visitar a cidade no h outro remdio que munir-se de pacincia (pelas las em alguns monumentos) e de calado confortvel, porque a melhor maneira de conhecer a Cidade Eterna a caminhar, caminhar e caminhar. Cada canto da cidade tem uma igreja, uma fonte, um monumento para contemplar. Cada rua d a sensao de estar imersa noutra poca. O que destacar de Roma? Da poca dos romanos, deve ser visitado o Coliseu, as Termas de Caracal-

    C

    ORD

    ON

    C

    ORD

    ON

    C

    ORD

    ON

    la, o Circo Mximo, o Mausolu de Augusto e duas colunas monumentais; a Coluna Trajana e a Colu-na de Marco Aurlio. De seguida, pode-se passear pela inmeras, belas e inesquecveis praas: Campo Fiore, Praa Navona, com a fonte dos Quatro Rios de Bernini, a Praa de Espanha, com a sua admir-vel escadaria, a Praa do Popolo, com as suas igrejas gmeas, a Praa Venezia, com o Monumento a V-tor Emanuel II, a Praa Trilussa e a Praa de Santa Maria, no bairro de Trastevere.

  • 14

    MUNDO GASTRONMICO

    RASTO DE HISTRIAUm primeiro aperitivo de grandiosidade, para chegar ao conjunto das igrejas mais belas da capital italiana: Santa Maria Maior, So Joo de Latro e So Paulo Extramuros. s trs igrejas juntam-se os palcios: Cancelleria, Propileu, Maff ei, S. Calisto e Propa-ganda Fide. E tudo isto sem contar, claro, com o Vaticano, com a sua Baslica de So Pedro. Estes so os exemplos mais destacados de uma cidade com incontveis rastos de Histria que permanece viva com cada turista que a visita. Mas para aguentar tanta cultura preciso uma boa alimentao.Aqui vo uns quantos pratos tpicos romanos: bu-catini allamatriciana (espaguete largo com queijo e molho de tomate), rigatoni con la pajata (tripas de vitela, toucinho e legumes), gnocchi alla roma-na (feitos com farinha de smola e cozinhados em leite), coda alla vacciara (rabo de boi estufado), por-chetta di ariccia (carne de porco desossada) ou ab-bacchio (cabrito de leite). Bom proveito!

    A Praa de So Pedro, o Coliseu ou a Fonte dos Quatro

    Rios na Praa Navona. Em Roma, cada canto puro

    encanto.

    G

    ETTY

    G

    ETTY

    C

    ORD

    ON

  • 15

    ITALIA

    C

    ORD

    ON

    Campnia, que se estende desde a foz do rio Ga-rigliano at ao golfo do Policastro, uma regio em que a sua costa est coberta de baas, ensea-das, falsias e pequenas ilhas como as do golfo de Npoles: Capri, squia e Prcida. Maravilhas da natureza, complementadas por pequenas povoaes, terra adentro, com muita tradio e histria. Nesta regio ergue-se, imperturbvel, o Vesvio e stio arqueolgico de Pompeia, cidade sepultada nas cinzas e lava do vulco. Os cinco enclaves mais importantes so Npoles, Caserta, Benevento, Avelino e Salerno. Em Campnia saboreiam-se vinhos de grande qualidade, como o atestam as suas Rotas do Vinho, que conjugam natureza, tradio e gosto pela vitivinicultura.

    Entre as suas virtudes gastronmicas encontram--se, segundo os seus habitantes, os tomates mais suculentos e saborosos do mundo, utilizados em inmeros pratos, como as autctones pizzas napo-litana e margarita. Alis, Npoles diz ser a ptria do esparguete, sem esquecer outra das joias da coroa: a mozzarella de bfala, Denominao de Origem pro-duzida em Mondragone, Battipaglia, Capua e boli. E para complementar uma boa refeio e facilitar a digesto, o limoncello de Sorrento, o colofo perfei-to para uma cozinha com nome prprio.Quem no associa a Siclia, essa bola que golpeia a bota italiana, com a m a ou com os lmes da saga O Padrinho? Na verdade, a maior ilha de Itlia tem paisagens extraordinrias, que combinam monta-

    Em cima, Amalfi, uma das povoaes mais famosos da costa de Campnia, onde se pode encontrar palcios incrveis.

    G

    ETTY

  • 16

    MUNDO GASTRONMICO

    C

    ORD

    ON

    C

    ORD

    ON

    G

    ETTY

  • 17

    ITLIA

    nhas com mar, colinas avermelhadas com mar cristalino. o Mediterrneo no seu estado mais puro, mais agreste. A capital, Palermo, concentra a essncia siciliana: a sua esplndida cidade velha, com os seus palcios majestosos e inmeras igre-jas, rodeada por rica vegetao mediterrnica e pequenas aldeias que so o lar de suntuosas villas. Como destino costeiro mais famoso encontra-se Cefal, com diversos stios arqueolgicos e antigas forti caes.

    MUITO MAIS QUE UMA ILHAAlgumas das cidades mais bonitas da Siclia: Agri-gento, onde se erige o Vale dos Templos, com sete lugares sagrados, testemunho da civilizao grega; Siracusa, com o seu belo porto natural e a sua antiga cidade, e Taormina, uma fortaleza me-dieval com alma grega, que , sem dvida, uma das prolas sicilianas mais bem guardadas. Sem esquecer o maior vulco ativo do mundo, o Etna, perto do estreito de Messina.Nos arredores da Siclia existem inmeras e pe-quenas ilhas, com destaque para um conjunto de sete, denominadas Ilhas Elias: Lipari , Vulcano, Filicudi, Alicudi, Panarea, Stromboli (tambm com um vulco ativo) e Salina (onde foi lmado O Carteiro de Pablo Neruda). Sete tesouros onde vale a pena perder-se.

    esquerda, as runas de Taormina, na Siclia.

    A gastronomia tem um papel essencial na vida dos

    italianos.

    C

    ORD

    ON

    G

    ETTY

    G

    ETTY

  • 18

    DIFICULDADE:Mdia

    TEMPO:115 minutos mais o tempo de congelao

    SERVIR: temperatura ambiente

    ITLIA

    APERITIVO

    Carpaccio de camaroINGREDIENTES300 G DE CAMARO 1 LIMO 1 RAMINHO DE BRCOLOS 1/2 ROM AZEITE VIRGEM EXTRA

    PREPARAOCorte os camares ao meio no sentido longitudinal pelas costas e retire a tripa. Coloque as metades dos camares sobre pelcula aderente, cubra com mais pel-cula aderente e com um rolo pressione suavemente para que quem bem nos, mas sem os partir. Repita a operao

    com todas as metades de camaro. Leve ao congelador durante algumas horas. Ao servir, retire a pelcula com cuidado e disponha os camares nos pratos. Deixe atingir a temperatura ambiente e salpique com um pouco de raspa de limo, bagos de rom, talinhos de brcolos e baby leafs. Termine com um bom o de azeite.

    PINCELAR A PELCULA ADERENTE

    COM AZEITE ANTES DE COLOCAR O CAMARO

  • 19

    ALPES

  • 20

    TEMPORADA ALTA

  • 21

    DIFICULDADE::Mdia

    TEMPO:45 minutos

    SERVIR:Quente

    ITLIA

    ENTRADA

    Spaghetti nero di sepiaINGREDIENTES1/2 CEBOLA 1 DENTE DE ALHO 250 G DE ESPARGUETE NEGRO 2 CHOCOS 300 G DE AMIJOAS 100 ML DE VINHO BRANCO 200 G DE TOMATE TRITURADO 1 COLHER DE SOPA DE TINTA DE CHOCO OU LULA AZEITE SAL E PIMENTA SALSA PICADA

    PREPARAOPonha as amijoas num recipiente com gua e uma colher de sal durante uma hora para que soltem toda a areia. Corte os chocos em cubos. Pique a cebola e o alho e faa um refogado com azeite e uma pitada de sal. Junte o choco e deixe cozinhar uns 3 minutos. Deite o vinho, deixe evaporar, e junte ento o tomate. Mexa e deixe cozi-

    nhar 10 minutos. Junte as amijoas, tape e deixe que abram (rejeite as que no abram). Por m, junte a tinta e retire do lume.Coza a massa em gua abundante com sal. Quando cozida, coe e junte ao preparado anterior para aquecer tudo junto durante uns minutos. Ao servir salpique com salsa picada.

    SE POSSVEL PONHA AS AMIJOAS DE MOLHO

    NA VSPERA

  • 22

    ITLIA

    PRATO PRINCIPAL

    Tamboril com gremolata de pistacho INGREDIENTES150 G DE PISTACHOS SEM PELE 1 LIMO 1 LIMA 1 CHVENA DE PO RALADO SAL 500 G DE TAMBORIL, EM 4 POSTAS

    DIFICULDADE:Baixa

    TEMPO:15 minutos

    SERVIR:Quente

    PREPARAOPique os pistachos mantendo alguma tex-tura. Raspe a casca dos citrinos. Misture os pistachos e a raspa dos citrinos com o po ralado e um pouco de sal.

    Cubra a parte de cima das postas de tam-boril com a gremolata e leve ao forno a 190C durante 10 minutos.Sirva com batatas aos cubos e brcolos salteados.

    DERRETA COLHERES

    DE MANTEIGA E DEITE POR CIMA

    NO LTIMO MINUTO DE FORNO

  • 23

    SDSADASD

  • 24

    TEMPORADA ALTA

  • 25

    DIFICULDADE:Mdia

    TEMPO:20 minutos

    SERVIR:Morno ou frio

    ITLIA

    SOBREMESA

    ZabaioneINGREDIENTES3 GEMAS DE OVO 3 COLHERES DE SOPA DE ACAR 5 COLHERES DE SOPA DE VINHO DOCE, TIPO MARSALA CANELA EM P

    PREPARAOBata as gemas com o acar at car em creme esponjoso, mas sem que aumente de volume. Sem deixar de bater, adicione o vinho. Leve o recipiente com a mis-tura a banho-maria e continue batendo durante mais 10 minutos. Retire e deite

    em taas. Pode servir-se de imediato ou deixar arrefecer no frigor co. Neste caso, deve mexer-se de vez em quando para que o vinho no se separe do creme.Pode servir com biscoitos, por exemplo, fatias de panettone torradas.

    A GUA DO BANHO-MARIA

    DEVE ESTAR QUENTE, SEM FERVER, PARA EVITAR GRUMOS

  • 26

    MUNDO GASTRONMICO

    Itlia um pas com uma gastronomia riqussima. Mostramos-lhe aqui alguns exemplos que pode encontrar no Club del Gourmet no El Corte Ingls.

    Massa penne La Pasta di Lari, 500 g

    Massa maccheroni La Pasta di Lari, 500 g

    Massa laganelle com trufa negra Rustichella dAbruzzo, 250 g

    Conjunto de sal Siclia com sabores Colltali, 400 g

    Moinho com pimenta preta Colltali, 380 g

    Massa spaghettini La Pasta di Lari, 500 g

  • 27

    ITLIA

    Tagliatelle com trufa e ovo TartufLanghe, 250 g

    Massa tagliatelle com trufa branca Poddi Tartu , 250 g

    Vinho Branco Cabreo, 75 cl

    Queijo parmeso Parmareggio, 150 g

    Azeite com trufa branca Maria F., 250 ml

    Vinagre balsmico Acetaia Dodi, 250 ml

    GRAPA, Alexander, 70 cl

  • POCAALTA

  • POCA ALTA

    30

    O YUZU UM PEQUENO

    CITRINO, MUITO PARECIDO COM A TANGERINA,

    MAS MAIS CIDO E DE

    COR AMARELA

    O segredo de um bom gin passa, sobretudo, pela tnica que usamos. ela que vai dar mais carcter bebida e marcar a diferena!

    Tnica Premium Qyuzo veio quebrar as regras das guas tnicas con-vencionais com o seu pa-ladar extico e oriental. Pretendia-se uma tnica

    que rompesse com a oferta existente at ento, com um carcter marcadamente ctrico, e cujo sabor perdurasse. A Qyuzo uma verdadeira exploso de sabores! Uma tnica cheia de vida, onde se nota, em primeiro lugar, a acidez do yuzu, mas depressa se descobre um sabor mais doce, com um toque de tangerina, e um nal picante que perdura.

    a

    O par perfeito!

    Fotografia: Lemonnierfoto

    TNICA PREMIUM QYUZU COM SUMO DE YUZU

    Mas, a nal, o que o yuzu, o fruto que est na origem desta tnica de referncia? O yuzu , nada mais nada menos, do que um pequeno citrino, muito parecido com a tangerina, mas mais cido e de cor amarela. Tem uma casca irregular e muito aromtica, que usada, desde sempre, pelo povo oriental na confeo dos seus pratos. , portanto, um fruto originrio da China, mas tambm bastante produzido, atualmente, no Japo. Este fruto que veio do Oriente o grande res-ponsvel pela originalidade da Tnica Premium Qyuzo, feita com o seu sumo, um verdadeiro achado para os amantes do gin!

    Tnica Premium Qyuzu

    com sumo de Yuzu,

    lata de 20 cl

  • ESPECIARIAS REGIONAL CO.

    31

  • POCA ALTA

    32

  • 33

    CERVEJA ARTESANAL DE AUTOR GASTRO

    Quando o calor aperta, nada melhor do que uma cerveja bem fresca para matar a sede. Melhor ainda, se o fizer com uma bebida de qualidade como o caso desta cerveja artesanal de autor.

    ssim que comeam os primeiros dias de primavera, apetece fazer mais vida de rua e conversa de esplanada. Inevita-velmente, a cerveja a primeira bebida que nos vem cabea quando o calor

    aperta e nos apetece refrescar a garganta. Atualmente, a bebida mais consumida no mundo inteiro e acredita-se mesmo que tenha sido uma das primeiras bebidas alcolicas a serem produzidas pelo homem. No tarefa fcil determinar em que perodo ter sido pro-duzida a primeira cerveja. Acredita-se que essa tarefa seja

    a

    Sai uma cerveja bem gelada, por favor!

    Fotografia: Lemonnierfoto

    Cerveja artesanal

    de autor Gastro, 75 cl

  • POCA ALTA

    34

    talvez to antiga como a prpria agricultura. De facto, sabe-se que o homem conhece o pro-cesso de fermentao h mais de 10.000 anos e obtinha, nessa poca, mesmo em pequenas quantidades, as primeiras bebidas alcolicas. Especula-se que a cerveja, assim como o vinho, tenha sido descoberta acidentalmente, prova-velmente fruto da fermentao no induzida de algum cereal. Em Portugal existem registos de consumo de cerveja desde o sculo XVII, poca de que data um Ptio da Cerveja, em Lisboa, na antiga freguesia da Conceio Nova.

    A CERVEJA UMA BEBIDA PRODUZIDA

    A PARTIR DA FERMENTAO

    DE CEREAIS, PRINCIPALMENTE

    DE CEVADA MALTADA

  • MERCEARIA

  • 38

    MERCEARIA

    O xarope de cer, conhecido por maple syrup, vai dar um toque especial s suas sobremesas e uma aparncia irresistvel aos seus gelados. Use e abuse!

    xarope de cer Club Del Gourmet pode muito bem tornar-se o seu melhor aliado quando pretende fazer uma sobremesa es-

    pecial para a famlia ou amigos. Este verdadeiro lquido dos deuses permite-lhe no s dar um toque especial na nalizao das suas receitas como tambm um aspeto mais apetitoso como cobertura de bolachas ou gelados, por exemplo. Mas, a nal, qual a origem deste xarope?O xarope de cer ou xarope de bordo, conhe-cido por maple syrup nos Estados Unidos da

    Amrica e sirope drable no Canad, consiste num xarope extrado da seiva bruta de rvores do gnero cer, sobretudo o Acer nigrum e o Acer saccharum, cujo nome comum no Brasil bordo. A seiva bruta extrada das rvores no nal do inverno e no incio da primavera na Amrica do Norte, quando o metabolismo das rvores ainda est reduzido, como resultado do rigoroso inverno (sobretudo no Canad).Uma vez o metabolismo das rvores restabe-lecido, nota-se a reincidncia da seiva elabo-rada, rica em minerais e molculas orgnicas complexas.

    o

    Toque de magia!Fotografia: Lemonnierfoto

    XAROPE DE CER CLUB DEL GOURMET

  • 39

    O XAROPE DE CER , NORMALMENTE,

    UTILIZADO EM SOBREMESAS MAS

    TAMBM COMO COBERTURA DE BOLACHAS OU

    GELADOS

  • 40

    MERCEARIA

    A TIPTREE UMA MARCA BRITNICA ESPECIALIZADA EM DOCES, COMPOTAS, MARMELADAS E CURDS, ENTRE OUTROS PRODUTOS FEITOS COM FRUTA PREMIUM

    Curd de Lima

    ou Groselha Preta

    Tiptree, 312 g

  • 41

    CURD DE LIMA OU GROSELHA PRETA TIPTREE

    Se quer ter uma experincia verdadeiramente sensorial no deixe de experimentar estes maravilhosos curds com assinatura Tiptree.

    s curds Tiptree podem ser usados para barrar bolachas ou tostas, rechear tortas ou bolos ou, simplesmente, para enriquecer as suas sobre-mesas. De qualquer forma,

    a qualidade da marca Tiptree , por si s, garantia de que vai gostar destes produtos.A Tiptree uma marca britnica, cuja fbrica est localizada em Essex, e que fabrica doces,

    o

    Doce tentao!

    Fotografia: Lemonnierfoto

    marmeladas, compotas, mel e curds, entre outras iguarias que j conquistaram adeptos um pouco por todo o mundo. J existe desde 1885 e aqui s se utiliza matria-prima de extrema qualidade: a fruta submetida a um rigoroso processo de seleo e os conservantes esto absolutamente proibidos. Por tudo isto, ao provar estes maravilhosos curds Tiptree, tem a garantia de que est a consumir um produto cinco estrelas que no o vai dececionar!

  • MERCEARIA

    Se pretende um azeite com personalidade, no deixe de conhecer este produto que nasceu da vontade de dois jovens empresrios descendentes de duas famlias transmontanas.

    azeite virgem extra Chousas Nostras um azeite produzido com muito rigor e ca-rinho pela Geraes de

    Xisto, um conceito que emerge da fuso de dois projetos: Chousas Nostras e Vales Dona Amlia, criados pela forte vontade de jovens descendentes de duas famlias transmontanas (Famlia Sousa Grando e Famlia Lobo), apaixonados pela sua terra e apostados em preservar o patrimnio rural familiar e as tra-dies herdadas a recuar geraes. No seio de uma aldeia tipicamente portuguesa parada no

    oUma histria de famliasFotografia: Lemonnierfoto

    AZEITE VIRGEM EXTRA CHOUSAS NOSTRAS

    42

  • Azeite Virgem Extra

    Chousas Nostras,

    500 ml

    tempo, que preserva todos os seus valores arquitetnicos, tradies e modos de vida fortemente ligados agricultura, decidem, em parceria, juntar foras e ideias e, assim, gerir as casas agrcolas de famlia que her-daram e dar uma renovada continuidade ao seu patrimnio.Desta moderna viso de restaurar tradies nascem as marcas Chousas Nostras e Vales Dona Amlia, com ncora na produo de azeites e vinhos, tirando partido de olivais centenrios e vinhas de veneranda idade, agora convertidos em espaos de ensaio na busca de novos sabores e aromas.

    43

  • 44

    INGREDIENTES200 G DE SALMO FUMADO MISTURA DE 5 PIMENTAS ANETO E AZEITE Q.B. 1 PEPINO 2 MINIFUNCHOS REBENTOS DE ALHO-FRANCS SAL E PIMENTA Q.B.

    PREPARAOSalpique as fatias de salmo com a pimenta, o aneto picado e regue com o azeite. Corte o pepino em quatro rodelas altas e retire as pevides com uma colher de maneira a formar quatro cavidades. Distribua o salmo pelo interior dos pepinos. Corte ao meio os minifunchos. Coloque as rodelas de pepino e salmo nos pratos de servir juntamente com os meios funchos, salpique com os rebentos de alho-francs, pimenta, regue com um pouco de azeite e sirva.

    Salmo em caixa de pepino

    MERCEARIA

    O AZEITE VIRGEM EXTRA CHOUSAS NOSTRAS

    PRODUZIDO A PARTIR DE OLIVAIS CENTENRIOS,

    GARANTIA DA SUA EXTREMA QUALIDADE

  • 46

    GRANDES CHEFS

    ouve uma altura em que ainda quis ser fotgrafo. Mas depressa percebeu que o seu caminho era a gastronomia, um mundo que aprendeu a explorar por

    in uncia, sobretudo, da me, originria de Mirandela. Aos 39 anos, o chef Lus Rodrigues diz que aprende sempre algo de novo todos os dias e que, por ser de Cascais, o mar a sua grande in uncia. Por isso mesmo, prefere os pratos de peixe aos de carne.Como que foi o seu percurso profissional at ao momento?Tirei o meu curso na Escola de Hotelaria do Estoril. O meu primeiro trabalho foi no Lawrences Hotel. Depois surgiu a oportunidade de ir trabalhar com o chef Carlos Martins no Hotel Quinta da Marinha. Mais tarde abri o primeiro 100 Maneiras, em Cascais, com o chef Jos Avillez e com o Ljubomir Stanisic. Fui, posteriormente, para o Penha Longa, onde surgiu a oportunidade de ir

    Cozinha com almaLUS RODRIGUES

    Ao 39 anos, o chef do restaurante Grei, em Lisboa, pratica uma cozinha portuguesa/contempornea cuja inspirao resulta, a maior parte das vezes, das vivncias do dia-a-dia e do feedback dos clientes.

    estagiar para Barcelona, no Hotel Ritz, no restaurante do chef Sergi Arola. O Bairro Alto Hotel foi a minha primeira experincia como chef e, depois, o Populi, no Terreiro do Pao. Agora estou h um ano no Grei, desde a abertura.Ser chef de cozinha era um sonho de infncia? Que outras profisses quis ter?Ser chef de cozinha sempre foi uma vontade. Tenho uma famlia desde sempre ligada hotelaria. Sendo tambm a minha me do norte do pas tenho, igualmente, fortes razes gastronmicas. Mas tambm houve uma altura em que quis ser fotgrafo.Quais foram os primeiros pratos que aprendeu a fazer?A minha me de Mirandela. Lembro-me de passar as frias da Pscoa l e de aprender a fazer o folar de carnes e os enchidos com a minha tia.Quem so as suas grandes referncias no mundo da gastronomia?As minhas grandes referncias so, sem dvida, o Vtor Sobral, o Alain Ducasse, o Ljubomir Stanisic e o Jos Avillez.

    hTexto: Sandra Cceres Monteiro Fotografia: Ricardo Palma Veiga

  • 47

    RECEITAS

    Onde vai buscar inspirao para os seus pratos?A inspirao para os meus pratos resulta, sobretu-do, das vivncias do dia-a-dia e, muitas vezes, do feedback dos clientes.Como definiria o seu estilo de cozinha?O meu estilo de cozinha portugus/contem-porneo.Sente que nesta profisso se aprende qualquer coisa nova todos os dias?Todos os dias aprendemos qualquer coisa. Seja no que lemos, em algo que provamos, numa conversa, ou at ao fazermos, por mero acaso, uma juno que no estvamos espera que desse certo mas que, a nal, at resulta bem.Gosta mais de cozinhar pratos de carne ou de peixe? Gosto mais de cozinhar pratos de peixe. Sou de Cascais, vivo perto do mar, e talvez por isso o mar seja a minha maior in uncia.O empratamento to ou mais importante do que a confeo de um prato?Se no tivermos uma boa confeo, o empratamento tambm no vai sair como queremosEsta profisso , de certa forma, uma profisso desgastante. Quantas horas por dia passa na cozinha?Quando fazemos o que gostamos mais fcil de fazer as coisas mas, em mdia, so 12 horas de trabalho dirias.O que essencial para se ser bem-sucedido nesta rea? Existe uma forte concorrncia...O essencial o gosto e a humildade. Estamos sempre a aprender e, se formos honestos, tambm com a concorrncia que vamos aprender para melhorar todos os dias. A concorrncia faz-nos crescer!

  • 48

    GRANDES CHEFS

    Trs ingredientes indispensveis na sua cozinha Cogumelos, azeite e ervas frescas.

    Doces ou salgados? Doces, sou muito guloso (risos).

    Msica para ouvir enquanto confeciona uma receita especialRock dos anos 80.

    O prato que os amigos mais lhe pedem para fazerRisotto de cogumelos selvagens com soja e manjerico fresco.

    O prato mais extico que comeu at hoje Filetes de cobra.

    Utenslio indispensvel Faca de chef.

    Considera-se um bom garfo? Sim, gosto de partilhar a mesa de uma refeio com os amigos.

    60 SEGUNDOS

  • 49

    LUS RODRIGUES

    Ser chef de cozinha, hoje em dia, uma profisso que est, de certa forma, na moda. Considera este fator positivo ou negativo? Por um lado positivo, pois temos uma cozinha de alto nvel e quantos mais formos a faz-la melhor para a sua divulgao! O lado negativo , por vezes, as pessoas que saem da escola a achar que podem logo ser chefs. Eu, por exemplo, levei dez anos a chegar a chef de cozinha. Fiz vrios estgios, diferentes cursos e trabalhei muitas horas com outros chefs para aprender in loco. Hoje em dia acontece tudo mais rpido e isso tira, de certa forma, a credibilidade a um bom cozinheiro. No nos podemos esquecer que antes de sermos chefs somos cozinheiros e que temos de lutar todos os dias para sermos melhores.O que que gosta de fazer nos seus tempos livres?Os meus tempos livres so sempre dedicados famlia, pois j passamos tanto tempo no trabalho que importante estar no nosso porto de abrigo.

    GOSTO DE COZINHAR PRATOS DE PEIXE. SOU

    DE CASCAIS, VIVO PERTO DO MAR, E TALVEZ POR ISSO O MAR SEJA A MINHA MAIOR

    INFLUNCIA

  • 50

    GRANDES CHEFSDELICATESSEN

  • 51

    Asa de raia com espargos verdes, crocante de batata e amndoa com creme de mostarda

    INGREDIENTES RAIA: 800 G DE ASA DE RAIA 10 ML DE AZEITE 20 G DE MANTEIGA 10 ML DE VINHO BRANCO SAL E PIMENTA Q.B.CROCANTE DE BATATA E AMNDOA: 500 G DE BATATA SAL Q.B. 35 G DE MANTEIGA 100 G DE FARINHA 2 OVOS 100 G DE AMNDOA TORRADA TRITURADA GROSSEIRAMENTECREME DE MOSTARDA: 300 ML DE NATAS SAL Q.B. 100 G DE MOSTARDA DIJONESPARGOS: 1 MOLHO DE ESPARGOS VERDES SAL Q.B. 1 DENTE DE ALHO 10 ML DE AZEITE

    QUANDOTodo o ano.

    DIFICULDADEMdia.

    TEMPO1 hora e 30 minutos.

    SERVIRQuente.

    PREPARAODa Raia: Numa frigideira core a raia com o azeite. Depois de corada, adicione a manteiga, refresque com o vinho bran-co retificando os sabores com o sal e a pimenta.Do Crocante de batata e amndoa: Coza a batata. Depois de cozida, passe pelo passe-vite e envolva a manteiga. Deixe arrefecer e faa pequenas bolas de 20 g

    cada. Passe por farinha e ovo e, por fim, pela amndoa, ficando assim panadas.Do Creme de mostarda: Levar as natas ao lume com a mostarda at atingir a consistncia desejada retificando de sabores com o sal.Dos espargos: Descasque os espargos, escalde-os em gua e reserve. Antes de servir salteie-os numa frigideira com o azeite e o dente de alho.

    EMPRATAMENTONum prato fundo disponha primeiro o creme de mostarda, disponha os espar-gos, sobreponha a raia e em volta da raia

    RECEITA PARA 4 PESSOAS

    disponha o crocante de batata e amndoa previamente frito (como se fosse um pas-tel ou um croquete).

    DICASE NO GOSTAR

    DE ESPARGOS PODER SUBSTITUIR POR OUTRO

    LEGUME COMO POR EXEMPLO O BOCK

    SHOY

    LUS RODRIGUES

  • 52

    GRANDES CHEFS

    QUANDOPode ser servido todo o ano.

    DIFICULDADEMdia.

    TEMPO1 hora.

    SERVIRQuente.

    Risotto de folhas de salsaINGREDIENTES ARROZ: 500 G DE ARROZ CAROLINO Q.B. DE SAL 70 G DE CHALOTAS PICADAS 200 G DE VINHO BRANCO 10 ML DE AZEITE 300 G DE GUARISOTTO: 60 G DE ARROZ CAROLINO J ABERTO Q.B. DE SAL 10 G DE AVELS 20 G DE FOLHAS DE SALSA 20 G DE CHALOTAS PICADAS 20 G DE MANTEIGA 35 G DE QUEIJO PARMESO RALADO 100 ML DE GUA 5 ML DE AZEITE

    PREPARAODo arroz: Num tacho refogue a chalota com o azeite. Adicione o arroz e refogue. Refresque com o vinho branco. Tempere com o sal e adicione a gua. Deixe cozer at a gua evaporar e reserve.

    Do risotto: Num saut salteie a chalota com o azeite. Adicione o arroz. Acrescente pouco a pouco a gua. Quando estiver com a consistncia desejada adicione as folhas de salsa. Disponha a manteiga e o queijo e faa a ligao. Por fim adicione as avels.

    EMPRATAMENTOEmprate num prato fundo podendo decorar com mais avels por cima e rebentos de salsa.

    RECEITA PARA 1 PESSOA

    DICASENDO UM

    RISOTTO SIMPLES MAS DE GRANDE SABOR PODE

    SER SERVIDO COMO GUARNIO DE UM

    PRATO DE CARNE OU DE PEIXE

  • 53

    RECEITASMUNDO GASTRONMICO

  • 54

    GRANDES CHEFS

    54

    DELICATESSEN

  • 55

    Peito de pato, nabos caramelizados, folhas da horta e molho de PortoINGREDIENTESPATO: 2 MAGRETS DE PATO Q.B. DE SAL Q.B. DE PIMENTANABOS: 250 G DE NABOS 20 ML DE MOLHO DE SOJA 5 ML DE AZEITEFOLHAS DA HORTA: 250 G DE COUVES GALEGAS 10 ML DE AZEITE Q.B. DE SAL 1 DENTE DE ALHOMOLHO DE PORTO: 1 L DE VINHO DO PORTO 1 CHALOTA PICADA 1 FOLHA DE LOURO 1 DENTE DE ALHO 5 G DE TOMILHO 200 G DE ACAR 100 ML DE VINAGRE

    QUANDONo outono.

    DIFICULDADEMdia.

    TEMPO1 hora.

    SERVIRQuente.

    PREPARAODo pato: Corte o magret ao meio e do lado da pele com a ajuda de uma faca faa um golpe em forma de x. Numa frigideira bem quente disponha o peito de pato primeiro do lado da gordura, para que a mesma possa derreter, e depois vire para acabar a confeco. Deve servir mdio mal, para que a carne possa estar mais tenra. Retificar de sabores com o sal e a pimenta.

    Dos nabos: Rale os nabos. Numa frigideira salteie os nabos com o azeite e o molho de soja.Das folhas da horta: Lave muito bem as couves deixando folhas inteiras sem o talo. Num saut saltear com o azeite e o alho, retificando de sabores com o sal.Do molho de Porto: Num tacho disponha todos os ingredientes e deixe reduzir a metade.

    EMPRATAMENTONum prato disponha os nabos por cima, o peito de pato cortado em fatias, disponha

    RECEITA PARA 4 PESSOAS

    as folhas da horta salteadas ao lado e o molho de Porto por cima da carne. Decore com ervas frescas a gosto.

    DICASE NO GOSTAR

    DO PEITO PODER SUBSTITUIR POR PERNA DE PATO

    LUS RODRIGUES

  • 56

    GRANDES CHEFS

    Presunto de salmo, crme frache e torradas de po saloio e azeite

    INGREDIENTESPRESUNTO DE SALMO: 1 KG DE SALMO 400 G DE SAL 300 G DE ACAR 20 ML DE AZEITE 50 ML DE CACHAA SUMO DE 1 LIMOTOSTAS DE PO SALOIO E AZEITE: 1 KG DE PO SALOIO CORTADO EM FINAS FATIAS 30 ML DE AZEITE Q.B. DE FLOR DE SAL

    QUANDOTodo o ano.

    DIFICULDADEBaixa.

    TEMPO45 minutos.

    SERVIRFrio.

    PREPARAODo salmo de presunto: Arranje o lombo de salmo inteiro sem espinhas com pele. Disponha o salmo num tabuleiro. Numa tigela disponha o sal, o acar e a cacha-a, envolvendo. Disponha por cima do salmo o sumo de limo e o azeite. Cubra o salmo com a mistura de sal e enrole em pelcula. Deve deixar no frio 48 horas.

    Antes de servir passe por gua e seque. Deve ser servido bem fininho.Das tostas de po saloio e azeite: Num tabuleiro disponha as fatias de po e pincele com o azeite. Disponha por cima a flor de sal. Leve ao forno at ficarem estaladias. O crme frache pode comprar j feito.

    EMPRATAMENTONum prato, e da mesma forma que monta um milfolhas, disponha por camadas intercaladas o po, o crme frache e o

    RECEITA PARA 10 PESSOAS

    salmo. Para decorao pode usar ervas aromticas frescas ou folhas de rcula, a gosto de cada um.

    DICAESTE SALMO

    MUITO VERSTIL, POR ISSO PODE SER TAMBM

    USADO EM SALADAS, CANAPS OU AT

    NUM RISOTTO

  • 57

  • 58

    GRANDES CHEFS

  • 59

    Panna cotta de manga INGREDIENTESPANNA COTTA: 750 ML DE NATAS 150 ML DE LEITE 250 G DE ACAR 5 FOLHAS DE GELATINA 2 VAGENS DE BAUNILHAMANGA: 1 MANGA; 20 G DE MANTEIGA 35 G DE ACAR MASCAVADO 30 ML DE MOSCATEL 5 FOLHAS DE HORTEL

    PREPARAODa panna cotta: Demolhe as folhas de gelati-na em gua bem fria. Leve as natas com o leite e o acar ao lume brando (no deve deixar ferver). Adicione as folhas de gelatina previa-mente demolhada at se dissolver. Disponha em copos com a medida desejada de forma a ir para o frio no copo onde vai ser servido.

    Leve ao frio para solidificar (deve fazer um dia antes de servir).Da manga: Num saut salteie a manga pre-viamente cortada em cubos pequenos com a manteiga. Adicione o acar e flameje com o moscatel. Antes de servir envolva as folhas de hortel ciseladas.

    RECEITA PARA 6 PESSOAS

    DICAA MANGA PODE

    SER SUBSTITUDA POR OUTRA FRUTA

    CONSOANTE A POCA E O GOSTO DE

    CADA UM

    QUANDOTodo o ano.

    DIFICULDADEBaixa.

    TEMPO30 minutos.

    SERVIRFrio.

    EMPRATAMENTONo copo da panna cotta disponha a manga por cima e decore com folhas de hortel.

    LUS RODRIGUES

  • CHARCUTARIA

  • 64

    Quer experimentar uma verdadeira iguaria gourmet? Deixe-se ento surpreender por este lombo ibrico de bolota, de textura macia e sabor nico!

    Fotografia: Lemonnierfoto

    CHARCUTARIA

    LOMBO IBRICO DE BOLOTA 5B MANGAS

    sobejamente conhecida por toda a Espanha a arte de bem tapear de nuestros hermanos. No , por isso, de estranhar que daqui do pas ao lado importemos o que de melhor se fabrica em termos de verdadeiras iguarias gourmet, como o caso do lombo ibrico de bolota 5B Mangas. Esta especialidade suna de origem espanhola proveniente do porco ibrico, cujas principais caractersticas da pureza desta raa

    De Espanha com todo o sabor!

  • 65

    passam pelo facto de os animais serem criados em liberdade e terem um regime alimentar espec co base de bolotas. Mais tarde, a salga da sua carne pode incluir temperos como azeite, alho, sal, or-gos, noz-moscada e pimento espanhol. Nessa altura, a pea ento envolvida em pele natural ou em cera arti cial que forma uma pelcula protetora em torno da carne. Trs meses aps a salga o lom-bo est pronto para consumo e poderemos, ento, deliciar-nos com a sua textura macia e sabor nico!

    Lombo ibrico de bolota 5B Mangas, ao quilo

  • 66

    CHARCUTARIA

    INGREDIENTES500 G DE COSTELETAS DE CABRITO ALECRIM Q.B. 1 EMBALAGEM DE MASSA KADAIF 1 COUVE ROMA-NESCO AZEITE, SAL E PIMENTA Q.B.

    PREPARAOTempere as costeletas de cabrito com sal, pimenta e alecrim picado. Ligue o forno aos 200C. Retire 4 pores de massa Kadaif, molde em ninho, pincele com azeite e leve ao forno cerca de 8 minutos ou at carem dourados. Entretanto, grelhe as coste-letas e coza ao vapor a couve. Coloque no prato um ninho, ao centro disponha as costeletas, decore com a couve e sirva.

    Costeletas de cabrito no ninho

    O LOMBO DE PORCO IBRICO , NORMALMENTE, SERVIDO COMO ENTRADA,

    EM FATIAS FINAS, TEMPERATURA AMBIENTE

  • 68

    CHARCUTARIA

  • 69

    Se no resiste a um bom queijo, no deixe de experimentar este produto nico, de sabor pleno, fabricado de forma totalmente artesanal.

    Fotografia: Lemonnierfoto e m 1961, o casamento de Jess Martnez com Justa Gonzalz deu origem queijaria Lcteos Martnez, localizada na provn-cia de La Rioja, hoje em dia uma queijaria de referncia, quer em Espanha quer no nosso pas. Da sintonia perfeita entre o sabor e a tradio dos antepassados que habitaram aquela regio, em con-junto com o saber e a cuidadosa e rigorosa elabo-rao de um queijo de autor, ali nasceu o queijo de ovelha curado Los Cameros, de sabor pleno, muito

    intenso e ligeiramente lcteo, com um aroma pro-fundo, fruto do seu processo de maturao natural. Outra caracterstica que distingue os produtos desta marca o facto de serem confecionados com matrias-primas rigorosamente selecionadas e 100% naturais, juntamente com um processo de elaborao completamente tradicional onde se usa, em exclusivo, o pano de algodo no fabrico dos queijos.No deixe de experimentar este queijo nico que nos transporta para a memria gastronmica de La Rioja.

    Um produto de autor

    Queijo de ovelha curado

    Los Cameros, ao quilo

    QUEIJO DE OVELHA CURADO LOS CAMEROS

    ESTE QUEIJO DELICIOSO INVOCA A MEMRIA GASTRONMICA DE LA RIOJA NUMA VERDADEIRA VIAGEM DE INTENSOS SABORES

  • 70

    CHARCUTARIA

    INGREDIENTES400 G DE PIMENTOS PADRO 200 G DE QUEIJO DE OVELHA CURADO 8 OVOS DE CODORNIZ 300 G DE TOMATE CHERRY AZEITE, SAL E PIMENTA Q.B.

    PREPARAOLigue o forno aos 200C. Corte os pimentos ao meio, coloque um pedacinho de queijo em cada metade e leve ao forno. Entretanto, estrele os ovos de codorniz numa frigideira antiaderente com um pouco de azeite. Corte os tomates cherry ao meio. Retire os pimentos do forno quando o queijo estiver derretido, coloque-os no prato de servir juntamente com os ovos e os tomates, salpique com um pouco de sal e pimenta e sirva.

    Pimentos padro recheados com queijo

  • 72

    CHARCUTARIA

    Se quer impressionar os amigos mesa, sirva-lhes este verdadeiro cone da gastronomia ibrica, que certamente os vai deixar rendidos

    Fotografia: Lemonnierfotoo Presunto ibrico de bolo-ta 10 vetas fatiado mo Sierra Mayor o produ-to-estrela da marca, no deixando, por isso, os seus crditos em mos alheias. Neste caso, em paladares alheios!Os verdadeiros entendidos atribuem a este presunto de porco ibrico, com mais de 36 meses de cura, uma qualidade inigual-vel. Qualidade essa conseguida graas ao seu

    rigoroso processo de fabrico e forma como os animais so alimentados, exclusivamente a bolota. O corte mo outro dos segredos mais bem guardados deste presunto de textu-ra suave e paladar nico, que tem conquistado uma legio de fs por todo o mundo.Com uma fatia de po saloio e um bom copo de vinho tinto, este verdadeiro cone da gas-tronomia ibrica o petisco ideal para um lan-che entre amigos, agora que os nais de tarde esto mais longos e amenos.

    Produto estrela

    PRESUNTO IBRICO DE BOLOTA 10 VETAS FATIADO MO SIERRA MAYOR

  • 73

    ESTE PRESUNTO DERIVA DE PORCOS IBRICOS QUE FORAM ALIMENTADOS EXCLUSIVAMENTE A BOLOTA. DA A SUA TEXTURA E PALADAR NICOS

  • 74

    CHARCUTARIA

    INGREDIENTES4 MIOLOS DE VIEIRAS 1 LIMA 30 G DE MANTEIGA RUM 300 G DE COGUMELOS 200 G DE PRESUNTO REBENTOS DE CEBOLA, SAL E PIMENTA Q.B.

    PREPARAOTempere as vieiras com o sumo da lima, sal e pimen-ta. Aquea uma frigideira com a manteiga e quando estiver derretida introduza as vieiras e salteie 2 ou 3 minutos. Junte o rum, ameje e reserve ao calor. Frite as fatias de presunto noutra frigideira sem utilizar gorduras. Retire as fatias de presunto e na mesma frigideira salteie os cogumelos. Disponha as vieiras nos pratos, rodeie com as fatias de presunto, os cogumelos, salpique com rebentos de cebola e sirva.

    Vieiras com presunto

    Presunto ibrico

    de bolota 10

    vetas fatiado

    mo Sierra

    Mayor, 80 g

  • GARRAFEIRA

  • 78

    GARRAFEIRA

    na regio do Douro que produzido este vinho de elevada qualidade, resultado do profissionalismo do Projeto CRU.

    vinho Xisto Cru, tal como todos os vinhos do Projeto CRU, resul-ta de parcelas de vinha espec cas e procura mostrar o solo, a vinha

    e a regio. Os mtodos de vini cao so pouco interventivos, a fermentao feita por leveduras

    indgenas e o nico fator externo utilizado o sul-furoso. O processo de vini cao muito simples e envolve fermentao e estgio em barricas usadas de carvalho francs, cuja inteno captar a energia da casta Rabigato, em forte maioria nestas vinhas e nesta regio. um vinho austero e mineral com aromas de ores brancas e notas ctricas, ligeiras notas de

    o

    Um vinho austero e com personalidade

    Fotografia: Lemonnierfoto

    VINHO DOURO XISTO CRU 2013 BRANCO

    Vinho Douro Xisto Cru 2013

    Branco, 75 cl

  • 79

    CHAMPANHE JACQUESSON

    Douro Xisto Cru 2013 BrancoVinho austero e mineral, com aromas

    de ores brancas e notas ctricas, ligeiras notas de plvora e pedra molhada.

    Na boca muito fresco e vivo, vertical com acidez bem marcada, mostra intensidade e concentrao prpria de vinhas velhas,

    ctrico tambm na prova termina com notas de plvora e ligeira madeira.

  • 80

    GARRAFEIRA

    plvora e pedra molhada. Na boca muito fresco e vivo, vertical com acidez bem marcada, mostra intensidade e concentrao prpria de vinhas ve-lhas, ctrico tambm na prova termina com notas de plvora e ligeira madeira. Vinho com grande potencial de envelhecimento ir bene ciar com alguns anos de garrafa. No aroma e na prova o vinho ganha dimenso com a presena de ar e com o aumento da temperatura, recomenda-se por isso a decantao e nunca servir a menos de 12C.O Xisto Cru um vinho que se mostra melhor mesa, vai bem com pratos de peixe grelhado ou no forno, redues de marisco, pastas com trufas ou queijos de pasta mole.

    O XISTO CRU UM VINHO QUE VAI BEM

    COM PRATOS DE PEIXE GRELHADO OU NO

    FORNO OU QUEIJOS DE PASTA MOLE

  • Quais as vantagens de um Personal Shopper?

    Definir o seu estilo e escolher as cores,as peas e a maquilhagem mais

    favorecedoras para si.

    Para fazer a sua marcaoinforme-se no Piso de Moda Senhora

    ou contacte-nos para os seguintes nmeros:

    Lisboa - 213 711 833

    Gaia Porto - 961 382 058

    S E R V I O P E R S O N A L S H O P P E R

  • 82

    GARRAFEIRA

    OS VINHOS DA ADEGA DO MONTE BRANCO

    SO MODERNOS, DISTINTOS E CRIADOS, MAIORITARIAMENTE, A PARTIR DE CASTAS

    PORTUGUESAS

    Vinho Regional Alentejano

    Monte Branco 2010 Tinto, 75 cl

  • 83

    VINHO REGIONAL ALENTEJANO MONTE BRANCO 2010 TINTO

    na Adega do Monte Branco, em Estremoz, que se produz este vinho distinto, fruto da paixo do enlogo Lus Louro.

    ituada em Estremoz, a Adega do Monte Branco foi construda em 2006 e goza de uma localizao privilegiada que se destaca

    na paisagem alentejana desta regio. Desfrutando de uma vista desafogada sobre a cidade e o castelo, o edifcio da adega segue uma linha arquitetnica simples, mas moderna, tal como os vinhos que produz.

    s

    Uma histria de amor

    Fotografia: Lemonnierfoto

  • 84

    GARRAFEIRA

    A Adega do Monte Branco nasceu da vontade de Lus Louro em produzir, no Alentejo, vinhos modernos, de qualidade e a partir de castas maioritariamente portuguesas. A experincia, ano aps ano, como produtor e enlogo per-mitiu-lhe colocar todo o seu conhecimento na construo de vinhos com um per l moderno e uma excelente relao qualidade/preo. Os vinhos da Adega do Monte Branco so vinhos produzidos com dedicao e visam superar as expectativas dos consumidores atuais.Alento a primeira e a mais conhecida marca de vinhos da Adega do Monte Branco. Expressa o carter de vinhos regionais alentejanos que se querem especiais e capazes de dar outro flego vida. So vinhos produzidos por Lus Louro produtor e enlogo que assume a responsabilidade tcnica de todo o processo a partir de vinhas arrendadas.

    Monte Branco 2010 TintoProduzido maioritariamente a partir das

    castas tpicas da regio, um vinho de cor granada, com aroma intenso de frutos vermelhos, equilibrado e com boa frescura.

    Deve ser bebido enquanto jovem.

  • 86

    GARRAFEIRA

    na Quinta da Boeira, em Gaia, que produzido este vinho de qualidade. Sem dvida um clssico!

    Porto Quinta da Boeira 10 anos , sem dvida, um vinho para servir numa ocasio especial. Este vinho de excelente qualidade

    produzido na Quinta da Boeira, em Gaia, com uma forte componente artesanal.A Quinta da Boeira, cujas origens remontam ao ano de 1850, preserva as suas marcas histricas, destacando-se um belo e imponente Palacete no centro dos seus trs hectares de jardins de rvores

    o

    A tradio ainda o que era

    Fotografia: Lemonnierfoto

    PORTO QUINTA DA BOEIRA 10 ANOS

    centenrias. Situada no corao da cidade de Gaia, junto s Caves do Vinho do Porto, est a poucos metros dos principais transportes, vias de comuni-cao e do Centro Histrico do Porto e Gaia. Os diferentes espaos esto preparados para receber todo o tipo de eventos. Na Quinta da Boeira poder usufruir do restaurante aberto todos os dias, realizar almoos e jantares de grupo, aniversrios, batizados e casamentos, ou experienciar uma prova gastronmica e de vinhos, um workshop gastronmico ou de artes tradicionais, entre outras experincias.

  • 87

    VINHO REGIONAL ALENTEJANO MONTE BRANCO 2010 TINTO

    Porto Quinta da Boeira 10 anos

    com estojo clssico, 75 cl

  • 88

    GARRAFEIRA

    SE TIVER OPORTUNIDADE, NO DEIXE DE EXPERIENCIAR UMA PROVA DE VINHOS NA QUINTA

    DA BOEIRA, EM GAIA

    Porto Quinta da Boeira 10 anosVinho envelhecido em madeira com aromas

    naturais intensos de caramelo e chocolate.

  • GARRAFEIRA

  • GIN FERDINANDS

    O gin uma bebida consensual, que tem conquistado cada vez mais fs. Surpreenda-se com este Ferdinands, um gin de qualidade produzido com extremo rigor.

    gin , de nitivamente, a bebida da moda e tem conquistado adeptos um pouco por toda a parte! Os verdadeiros enten-didos dizem que a conjugao ideal com uma simples gua

    tnica, mas o gin uma bebida que permite a mistura com diferentes ingredientes, consoante o gosto e a ima-ginao de cada um. Mas, a nal, no que que consiste esta bebida tipicamente britnica? O gin uma bebida destilada, normalmente a partir de cereais como o milho,

    oFotografia: LemonnierfotoA bebida da moda

  • GARRAFEIRA

    O GIN UMA BEBIDA DESTILADA A PARTIR DE CEREAIS COMO O MILHO, O TRIGO OU A CEVADA

    o trigo e a cevada, que posteriormente aromatizada com botnicas. O zimbro, por sua vez, presena obrigatria no gin. A palavra germnica para zimbro Jenever (ginevier), que os ingleses rapidamente abreviaram para gin. Desde a antiguidade que o zimbro (planta e baga) era utilizado como cura para inmeras doenas. Os egpcios ferviam zimbro com incenso e gordura de ganso como tratamento para a dor de cabea. Plnio mencionava a sua utilizao na obra Histria Natural. Aristteles dizia que tinha propriedades que ajudavam manuteno de uma vida com sade. Quem diria que o gin, alm de ser delicioso, tinha todas estas propriedades teraputicas?No caso do Gin Ferdinands so usadas apenas as colheitas de vinhos da mais alta qualidade no seu processo de infuso. As ervas e as frutas que lhe do um toque especial so, igualmente, originrias do cultivo pessoal na regio do Sarre. Na infuso de Riesling so utilizadas, em exclusivo, as uvas de vindimas tardias e selecionadas da vinha Saarburger Rausch.

    Gin Ferdinands, 50 cl

    GARRAFEIRA

    92

  • INGREDIENTES4 CUBOS DE GELO SUMO DE MEIO LIMO 1 PARTE DE CHERRY BRANDY 3 PARTES DE GIN GUA COM GS PARA ENCHER O COPO HORTEL Q.B.

    PREPARAOColoque o gelo, o sumo do limo, o cherry brandy e o gin no shaker, misture bem, deite no copo, junte a agua com gs, decore com hortel e sirva.

    Cocktail Gin Sling

    AS UVAS DA CASTA RIESLING CONFEREM A

    ESTE GIN UM CARCTER NICO, GARANTINDO O MXIMO DE PRAZER

    AO DEGUST-LO

    GIN FERDINANDS

    93

  • 94

    GARRAFEIRA

    Prola do DouroBrinde ao vero e vida com um vinho de qualidade superior, que uma verdadeira homenagem a uma das castas mais elegantes do mundo.

    omar um espumante fresco ao pr-do-sol um convite que poucos recusariam, ainda para mais se puder faz-lo com um vinho de qualidade como o caso

    do Espumante Vrtice Pinot Noir 2006 Bruto.A Vrtice uma marca de espumantes de qualidade superior da regio do Douro, de onde resulta este maravilhoso Pinot Noir 2006 Bruto.Os espumantes Vrtice nascem na regio Cimo Corgo, no planalto de Alij, com uma altitude mdia de 550

    tFotografia: Lemonnierfoto

    ESPUMANTE VRTICE PINOT NOIR 2006 BRUTO

  • 95

    metros, em solos granticos e xistosos. As uvas so criteriosamente selecionadas e aps o processo de vini cao, segundo o mtodo clssico, seguem um estgio mnimo de 60 meses em garrafa.O Vrtice Pinot Noir 2006, em concreto, resulta de uma homenagem a uma das castas mais sublimes e elegantes do mundo. Esta casta conhecida pela sua difcil adaptao e carter temperamental que consegue reunir na regio do Douro as condies necessrias para dar lugar a um vinho de excecional qualidade.

    Espumante Vrtice Pinot Noir 2006 BrutoUm vinho encorpado, com excelente estrutura, aromas e

    uma enorme complexidade de sabores.

  • SAN

    DL

    IAS,

    109

    . MAL

    A, 12

    9

    . N

    A P

    GIN

    A AO

    LAD

    O: M

    ALA,

    159

    . P

    ULS

    EIRA

    , 14

  • 98

    CRNICA

    Comida para solteiros

    Neuza Gomes Jornalista e autora do blogue Comida para Solteiros

    agora? O que vai ser da mi-nha vida? O que que vou comer? Foi esta a pergunta que z a mim prpria quan-do entrei na minha Casa de

    Bonecas pela primeira vez. Eu, que em casa dos meus pais - e com a melhor cozinheira do mundo enquanto me - nunca mexia nos tachos a no ser para lav-los (e tinha de ser obrigada!). Ainda assim, cresci com o hbito de espreitar a me e a av espanhola ao fogo, bem como o vcio de papar tudo o que eram livros e revistas de receitas. Tambm costumava desenrascar-me nas frias com os amigos, mas a coisa variava entre a massa de atum e a tortilha (esta, sim, a minha especialidade. Por que ser?!). Resumindo, no estava completamente s escuras, mas viver sozinha comeava a ser um pesadelo a nvel culi-nrio. Nunca tinha feito um assado, um estufado, um guisado e logo eu que sempre adorei comer. No me imaginava a ter saladinhas ao almoo e cereais ao jantar e a prescindir da feijoada, do bacalhau com natas, do rolo de carne com fa-rinheira, das ervilhas com ovos escalfados... J sei! Vou procurar na internet. H l soluo para tudo! Errado! As receitas disponveis raramente so para uma pessoa. E nem sequer para duas. Ento mas ningum se lembra dos solteiros (vivos, divorciados, separados...)? Mas ser que ainda pensam que quem vive s no cozinha, alimenta--se de fast-food e dos tupperwares das mes?

    Desengane-se! Quem gosta de comer aprende a desenvencilhar-se ao fogo e planeia ementas para chegar a casa e no jantar Nestum. Esquisita, no, organizada. A verdade que d-se-me um n no crebro quando noite entro na cozinha sem saber de antemo o que vou fazer. Eu que sou menina de marmita e os almoos tm de ser sempre preparados de vspera. Por isso mesmo, e para que nada falhe, os ns de semana so dedicados s compras (atencin: sem lista e com fome estou proibida de entrar nos supermerca-dos) e ao planeamento dos menus, de domingo a sexta-feira. Ok, admito, sou esquisita! E no pouco! Ento, mas e aos sbados? Nesses ando ao sabor da corrente...Foi assim que surgiu esta brincadeira. Um blogue prtico, sem pretenses e descomplicado, tal qual a minha cozinha! E, confesso, at co envergo-nhada e algo nervosa quando me dizem: Neuza, quando que vens c a casa fazer o jantar? A resposta sempre a mesma, um pouco em tom de brincadeira: S sei cozinhar para um. que por aqui ningum quer ser chef, mas se conseguir dar-vos ideias para que a preparao das vossas refeies seja uma tarefa mais fcil, ento, j me dou por feliz. No Comida para Solteiros vo en-contrar receitas, novidades e partilha de sabores para quem vive sozinho, mas que usa e abusa da cozinha. Ningum acredita, pero que los hay, los hay! Os outros, os casados, divorciados, juntos ou coloridos... so tambm muito bem-vindos.

    e

    P.S.: Deixei, entretanto, a Casa de Bonecas. Como diz a anedota machista, precisei de liberdade, ou seja, de mais espao na cozinha.

  • p009p029p037p060 renovap061 renovap063p077p097 Gloria Ortizp099 Elitp100 Gradil